Senge-ES na 6ª Conferência da Cidade de Vitória

Propostas para tornar Vitória uma cidade mais inclusiva e participativa estão sendo debatidas pela população e por representantes de entidades da sociedade civil na 6ª Conferência da Cidade de Vitória, que acontece de 29 a 30 deste mês, no auditório do Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo (CRC-ES), em Bento Ferreira.

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo participa da 6ª Conferência da Cidade de Vitória. O engenheiro Luiz Fernando Fiorotti Matias, diretor social do Senge-ES, é um dos coordenadores do evento que pretende discutir e propor diretrizes para que a capital se torne cada vez melhor.

Cerca de 100 pessoas participaram do primeiro dia do evento, que debateu diferentes assuntos, como tornar os espaços públicos ainda mais agradáveis para o uso do cidadãos e ampliação das áreas destinadas aos pedestres. “A função social da cidade e da propriedade” é o tema condutor do debate. As cinco propostas mais votadas serão apresentadas na Conferência Estadual pelos 24 delegados que serão eleitos no evento. Durante a tarde, os participantes foram distribuídos em grupos de trabalho temáticos.

O evento é aberto para moradores, estudantes, trabalhadores e servidores. Os participantes vão sugerir propostas para tornar Vitória uma cidade mais inclusiva e participativa. As discussões giram em torno de uma melhor distribuição de pessoas pelo território, aproximação dos lugares de moradia dos locais de trabalho e lazer, rotas acessíveis, uso a imóveis vazios, melhoria do transporte público, praças, escolas, parques e praias. O foco é que esses espaços sejam usados pelas pessoas e não para a especulação.

Em 2003, cerca de 200 pessoas participaram da 5ª Conferência Municipal e fizeram 54 propostas de melhorias na capital. Na época, foram eleitos 33 delegados.

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

Ações do Senge-ES reforçam obrigatoriedade legal de registro de agentes públicos no Conselho Técnico

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo (Senge-ES) se mobiliza junto a sociedade e entidades de classe no intuito de garantir direitos constituídos da categoria no exercício da profissão no setor público. Trata-se de uma bandeira histórica que passa pelo efetivo registro dos órgãos públicos atuantes no Estado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES).

No ano passado, o Senge-ES promoveu encontros com lideranças do Movimento Capixaba de Valorização Profissional da Área Tecnológica Pública para identificar soluções aniquiladoras do apartheid infelizmente ainda existente entre profissionais tecnológicos do setor privado e público. Uma delas foi a criação de uma “Força Tarefa Fiscal” junto aos Conselhos Profissionais e dos Órgãos de Controle Externo (Ministérios Públicos e Tribunais de Contas) para garantir o devido cadastro de todos os órgãos públicos capixabas.

Na sequência foram protocolados três ofícios do Sindicato dos Engenheiros no Conselho Regional. Cada ofício originou processos administrativos solicitando providências sobre a questão. Até o momento o Senge-ES não recebeu respostas formais sobre os processos n° 23.654, de 11/03/2015; n° 33.163, de 06/04/2015; e n° 48.817, de 21/05/2015.

Vale destacar que, ainda em 2015, o debate das medidas que passam pelo correto registro das instâncias governamentais no Conselho Técnico também foram levadas pelo Senge-ES à todas as Câmaras Técnicas Especializadas do Crea-ES.

Ofício

Na semana retrasada, por meio de seu informativo semanal eletrônico n° 156, o Crea-ES informou que irá enviar ofícios para os órgãos públicos municipais e estaduais que executam obras ou serviços de agronomia, engenharia e congêneres informando da obrigatoriedade do seu referido cadastro. O pedido será de que o registro seja feito em caráter imediato.

O ofício do Crea-ES tem previsão de ser enviado ainda em junho e destaca que o registro de ART de Cargo ou Função Técnica não exime o registro das Anotações de obras e serviços técnicos. O documento afirma ainda que o registro da Seção Técnica ligada ao exercício dos títulos é isento da taxa de registro e anuidades.

Legislação

Todas as Empresas, Entidades ou Órgãos Públicos tem o dever legal de ser registradas no Crea. O embasamento legal para isso está na A Lei Federal n° 5.194/1966 - que completou 50 anos em abril. “As firmas, sociedades, associações, companhias, cooperativas e empresas em geral, que se organizem para executar obras ou serviços relacionados na forma estabelecida nesta lei, só poderão iniciar suas atividades depois de promoverem o competente registro nos Conselhos Regionais, bem como o dos profissionais do seu quadro técnico”, garante a referida legislação em seu artigo 60. “As entidades estatais, paraestatais, autárquicas e de economia mista” também estão enquadradas nessa obrigatoriedade, corrobora o parágrafo segundo do mesmo artigo.

Clique aqui e veja a integra do capítulo II da Lei que caracteriza o Exercício das Profissões de Engenharia e da Agronomia, capítulo esse que sustenta a obrigatoriedade do citado registro. De acordo com a legislação, os Órgãos Públicos ou suas Seções devem ainda providenciar os registros de seus profissionais no Crea. Apesar disso, apenas os profissionais do setor público tem recebido a aplicação de NAI (Notificação e Auto de Infração). O Sindicato dos Engenheiros defende que o registro de todo o setor público capixaba seja de fato exigido pelo Conselho Regional.

Resolução

A resolução n° 336 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) é outro elemento que reforça a obrigatoriedade do registro para entidades públicas. O documento de 27 de outubro de 1989 aborda o registro de pessoas jurídicas nos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia, por força da Lei n° 5.194/66. Através dos seus artigos, explica a tramitação do registro obrigatório das pessoas jurídicas que atuam na área da engenharia.
“Os órgãos da administração direta, as autarquias e as fundações de direito público, que tenham atividades na Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Geologia, Geografia ou Meteorologia ou se utilizem dos trabalhos dessas categorias, deverão, sem qualquer ônus para os CREAs, fornecer todos os elementos necessários à verificação e fiscalização do exercício profissional”, delimita o artigo segundo da resolução. “A pessoa jurídica enquadrada em qualquer uma das classes (...) só terá condições legais para o início da sua atividade técnico-profissional, após ter o seu registro efetivado no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia”, reforça o artigo quarto.

Segurança das cidades

Os profissionais do setor público que precisam cadastrar ART's de obras e serviços técnicos têm sido orientados pelo Crea-ES a fazê-lo como autônomo, mesmo tendo vinculo direto (efetivo ou temporário) que deveria constar do quadro técnico informado no registro da instituição ao conselho, o que ajudaria a definir quem de fato pode assinar ARTs de autoria e fiscalização para administração, conforme preconiza o artigo 37, inciso 5° quinto da nossa Constituição Federal.

A certificação desse vínculo legal permitirá que a realidade dos agrônomos, engenheiros (todas as modalidades), geógrafos, geólogos, meteorologistas, tecnólogos e técnicos de nível médio que trabalham nas instancias públicas seja pautada pelas normativas de qualidade e segurança que o sistema Crea/Confea possui para as atividades e obras que fazem parte do dia-a-dia das pessoas. A luta passa por fazer com que, por exemplo, uma obra pública tenha a garantia de que um profissional regularmente apto a projetá-la e construí-la esteve envolvido no planejamento, fiscalização e execução do serviço. Uma conquista importante tanto para categoria profissional, quanto para toda sociedade.

A fiscalização do exercício ilegal da profissão dentro dos órgãos públicos também é pautada pela Resolução n° 430/1999 do Confea. Um dos problemas que permeia a realidade do Serviço Público é a incidência de trabalhadores sem formação específica que exercem funções que necessitam de tal formação. Um Termo de Cooperação Técnica firmado entre o Crea-ES e o Tribunal de Contas do Estado (TC-ES) incentiva ainda a adoção do salário mínimo profissional (Lei Federal n° 4.950-A/1966) e que, "em ações de fiscalização e/ou auditorias de execução de obras públicas” devem ser exigidos os documentos comprobatórios de regulamentação junto ao referido Conselho Técnico.

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

História do Senge-ES celebrada no marco dos 35 anos

Fundado em 25/05/1981, o aniversário do Sindicato dos Engenheiros foi celebrado em todo o mês de maio. No dia 02 os engenheiro(a)s foram homenageados na Assembleia Legislativa do Espírito Santo. Já no dia 16, a trajetória e atuação do Sindicato dos Engenheiros foram apresentadas na Câmara de Cariacica (Grande Vitória). A cerimônia que marcou o fechamento das ações que celebram a trajetória sindical dos engenheiros e engenheiras foi realizada no dia 20/5 no Auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do ES –Santa Luiza (Vitória).

A solenidade foi marcada pela homenagem a lideranças do movimento sindical dos profissionais de engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia do Estado, pelo lançamento da revista que resgata a história do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo, bem como pela palestra “Inovação – O futuro Agora”.  A cerimônia foi pautada ainda por discursos de entidades educacionais e sindicais que possuem relação histórica com o Senge-ES.

Discursos

Em seu discurso, o presidente do Senge-ES, Ary Medina Sobrinho, frisou a necessidade de transparência e diálogo nas ações sindicais e deu destaque para bandeiras históricas da categoria, como a defesa de equidade de direitos entre profissionais do setor privado e público, que inclui o cumprimento do Salário Mínimo Profissional (Lei 4950-A).

História do Senge-ES celebrada no marco dos 35 anos

 

Ary Medina ressaltou ainda a necessidade de renovação da união das forças sindicais em defesa dos trabalhadores. “Não poderíamos deixar passar em branco essa data dos 35 anos. Mas, não vemos o marco como uma festividade, tendo em vista as condições políticas que atravessamos hoje no Brasil. Teremos novamente que unir forças para buscar os empregos que perdemos. Uma luta que deve ter adesão dos sindicatos em favor das conquistas que já tivemos”, defendeu.

O ex-presidente da Fisenge, Crea-ES e Senge-ES, engenheiro Paulo Bubach, representou o presidente da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros, Clovis Nascimento, na solenidade dos 35 anos do Sindicato dos Engenheiros. Bubach fez um apanhado da trajetória do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo, bem como da relação institucional histórica do Senge-ES com a Fisenge. Além disso, falou sobre a renovação de lutas dos trabalhadores ao longo das últimas décadas e nos tempos atuais. “Temos muito a desenvolver por condições justas de trabalho. O Sindicato tem papel importante. A organização sindical não tem período para acabar. Vai permanentemente se reciclar, mas é eterna”, avalia.

Já o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo, Helder Carnielli, elencou a importância do Sindicato dos Engenheiros na retomada da democratização brasileira e na história sindical do Estado do Espírito Santo. “O nascimento do Sindicato foi muito importante para traçar o rumo de democratização que avançou. Esses 35 anos não são pouca história. Quero parabenizar a todos”, falou.

O coronel Carlos Marcelo D’Isep Costa também participou do marco dos 35 anos. O Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo falou da necessidade de aprimorar a engenharia de incêndio nos cursos de graduação tecnológica. “Quero dar os parabéns aos engenheiros e engenheiras. Que venham mais 35 anos pela frente”, disse.

Em sua fala, o reitor da Ufes, professor Reinaldo Centoducatte, destacou que as entidades sindicais são primordiais para regulação e discussão de pontos fundamentais ao mundo do trabalho e da democracia. “Nós que militamos na busca do conhecimento como forma de retornar para sociedade melhores condições para seu desenvolvimento, entendemos que a organização sindical é importante parte do caráter e formação de categorias”, avalia.

Após o lançamento da Revista dos 35 anos do Sindicato dos Engenheiros e da palestra “Inovação – O futuro Agora”, o Secretário Geral do Senge-ES, Rogério do Nascimento Ramos, fez a fala de encerramento. Rogério destacou a importância dos profissionais na construção da história do movimento sindical da área tecnológica. Reforçou que a trajetória do Senge-ES deixou legado tanto na formação de lideranças, quanto no amadurecimento de direitos da categoria. “Agradecemos aos companheiros que colaboraram com a história do Sindicato dos Engenheiros”, concluiu.

Fonte: Senge-ES

 

Publicado em Notícias

A trajetória e atuação do movimento sindical dos profissionais de engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia do Estado foi apresentada na Câmara de Cariacica (Grande Vitória) na última segunda (16/5). A agenda fez parte do marco dos 35 anos do Senge-ES. Na ocasião, o diretor de Promoção Social, Luis Fernando Fiorotti Mathias, representou o presidente do Senge-ES, Ary Medina Sobrinho, na Tribuna Popular do plenário Vicente Santório Fantini.

Igualdade de direitos defendida na programação dos 35 anos do Senge-ES

Fiorotti apresentou as prioridades da administração 2015-2017 e frisou a importância da ética e transparência na rotina da ação sindical. Abordou ainda a atuação jurídica do Sindicato dos Engenheiros, bem como destacou que, em 2016, a categoria celebra os 50 anos do Salário Mínimo Profissional (Lei 4950-A). Além disso, mapeou a atuação institucional e defendeu ações em prol da “democratização das instituições objetivando o relacionamento e crescimento social e humano”.

O diretor de Promoção Social respondeu os vereadores sobre a situação dos profissionais tecnológicos no serviço público e defendeu equidade de direitos dos chamados estatutários com os trabalhadores contratados no regime da CLT. “Temos procurado as administrações municipais para conversar. São esses profissionais que fiscalizam as obras das prefeituras. São obras como postos de saúde, praças, escolas. Ou seja, a área prioritária da administração municipal são acompanhadas pela área tecnológica”, avalia.

Participe do marco dos 35 anos

Fundado em 25/05/1981, o aniversário do Sindicato dos Engenheiros foi celebrado em todo o mês de maio. No dia 02//5 os engenheiro(a)s foram homenageados na Assembleia Legislativa do Espírito Santo. Na próxima sexta (20), cerimonia marca o fechamento das ações que celebram a trajetória sindical. O marco dos 35 anos será realizado no Auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do ES – Rua Doutor João Carlos de Souza, 758 – Santa Luiza, Vitória. Participe!

Igualdade de direitos defendida na programação dos 35 anos do Senge-ES

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

O marco dos 35 anos do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo foi oficialmente iniciado na última segunda-feira (02) na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES). A trajetória histórica e ações atuais do movimento sindical dos profissionais de engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia foi apresentada aos deputados estaduais pelo presidente do Senge-ES, Ary Medina (foto), e pelo diretor de Promoção Social, Luiz Fernando Fiorotti.

Senge-ES 35 anos: Engenheiros defendem Salário Mínimo Profissional na Assembleia Legislativa do ES

Os engenheiros foram convidados para tribuna do Plenário Dirceu Cardoso por uma iniciativa do deputado estadual Dr. Hécules (PMDB). Em seu discurso, o presidente Ary Medina defendeu a importância dos profissionais da área tecnológica no desenvolvimento da vida e do Estado. Tanto elencou os engenheiros e engenheiras como centro das ações da administração 2015-2017, quanto reforçou a importância do dialogo na intermediação pelo desenvolvimento das conquistas trabalhistas. Além disso, falou sobre os direitos históricos da categoria (Lei 4950-A) e ressaltou a importância da transparência.

“Trabalhamos muito para que a sociedade venha a ver a importância da engenharia no desenvolvimento tecnológico do Estado. Só conseguimos fazer isso com transparência, onde as contas do sindicato ficam abertas para os associados”, afirmou.

O diretor de Promoção Social, Luiz Fernando Fiorotti, também ressaltou a importância do Salário Mínimo Profissional em seu discurso. Abordou a necessidade da ação sindical e tecnológica no desenvolvimento da sociedade. “É importante que tenhamos aqui a reafirmação da Lei 4950-A de 1966. O Sindicato dos Engenheiros completa 35 anos, a Lei do Salário Mínimo Profissional (4950-A de 1966) faz 50 anos. São dois marcos importantes. Vida longa ao Sindicato dos Engenheiros do Espirito Santo, parabéns aos engenheiros e engenheiras! “, disse.

Programação continua
As ações que envolvem os 35 anos do Senge-ES continuam. Serão mais dois eventos. O primeiro no dia 16 de maio, na tribuna popular da Câmara Municipal de Cariacica. Para fechar as comemorações, o marco dos 35 anos será celebrado no auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do ES no dia 20 de maio. Participe!

Senge-ES 35 anos: Engenheiros defendem Salário Mínimo Profissional na Assembleia Legislativa do ES

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

Senge-ES comemora 35 anos; confira atividades programadas

NOSSA HISTÓRIA TAMBÉM É SUA
SENGE-ES 35 anos
1981-2016

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo completa 35 anos de fundação em maio de 2016. Participe da programação que celebra as mais de três décadas do movimento sindical dos profissionais de engenharia, agronomia, geografia, geologia e meteorologia no Estado. Essa história não existiria sem você!

Tribuna Popular
02 de maio – 17h
Assembleia Legislativa do Espírito Santo
Plenário Dirceu Cardoso
Av. Nossa Sra. dos Navegantes, 205 – Enseada do Suá, Vitória

16 de maio – 18h
Câmara Municipal de Cariacica
Plenário Vicente Santório Fantini
Av. Expedito García, 1777 – Campo Grande, Cariacica

Marco dos 35 anos
20 de maio – 19h
Sindifer
Auditório do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do ES
Rua Doutor João Carlos de Souza, 758 – Santa Luiza, Vitória

 

Realização
Senge-ES
Fisenge

Apoio
Crea-ES
Mutua-ES

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

Senge-ES convoca assembleia para prestação de contas 2015

O Sindicato dos Engenheiros no Espírito Santo convocou toda a categoria filiada para Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada amanhã (29). na sede do sindicato. Em pauta, avaliação da prestação de contas da diretoria referente ao ano de 2015.

Confira a chamada:

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Pelo Presente ficam convocados todos os filiados para se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 29/03/2016, (terça feira), na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo sito à Av. Marechal Mascarenhas de Moraes n¢X2562 – Ed. Espaço Um, salas 303,304 e 305 – Jesus de Nazareth – Vitoria – ES, às 18h30min, em primeira convocação e às 19h00, em segunda convocação, para tratar da seguinte ordem do dia:

1 – Apreciação e deliberação sobre a aprovação ou não da prestação de contas do exercício 2015, com parecer do Conselho Fiscal.

ENG. Ary Medina Sobrinho

Presidente do Sindicato dos Engenheiros

OBS.: o edital de convocação foi publicado na página 6 da seção Classificados do Jornal A Tribuna e na página 15 da seção Diversos do Diário Oficial do Estado do Espírito Santo (DIO-ES), no dia 16/03/2016.

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo (Senge-ES) entregou 97 pacotes de fraldas para Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil (Acacci) e para o Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer (GAPC). A campanha de arrecadação foi feita com a ajuda de engenheiros e engenheiras que fizeram doações como parte de inscrição em curso de formação profissional.

“A proteção da sociedade faz parte da missão do sindicato”, explica o diretor de promoção social do Senge-ES, Luis Fernando Fiorotti, que representou o Senge-ES na entrega das doações. “É uma ajuda ao ser humano, em primeiro lugar, e uma forma de prestar esclarecimento para necessidade de prevenção do câncer, tanto de mama, quanto de próstata”, reforça.

Senge-ES apoia entidades de tratamento ao câncer

As fraldas foram entregues as entidades na última segunda-feira (23), na abertura do curso de Drenagem de Rodovias do Grupo de Trabalho de Infraestrutura e Mobilidade Urbana do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES). Parte da inscrição do evento foi revertida na compra de 25 pacotes de fraldas para adultos, doados para o GAPC, e 72 pacotes de fralda infantil, doados para Acacci.

O coordenador adjunto interino do GT de Infraestrutura e membro do Senge-ES, Eng. Civil Elson Gatto, destacou a importância do compromisso social das ações dos conselhos e sindicatos da categoria. As entidades que receberam as doações auxiliam pacientes em situação de vulnerabilidade social que passam por tratamento contra o câncer.

“É uma ajuda muito importante, temos muita saída de fraldas. 25 fraldas significam 25 pessoas ajudadas”, sintetiza Paula Pignaton, relações públicas do GAPC. “Usamos as fraldas para dar assistência às crianças e na montagem de cestas de natal direcionada para os pacientes”, explica a Maria José Pirro, secretária da Acacci.

Saiba mais sobre a Acacci em www.acacci.org.br. Se informe sobre o trabalho do GAPC e ações de prevenção ao câncer em www.gapc.org.br. As duas entidades não possuem fins lucrativos. Ajude!

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias
Segunda, 30 Novembro 2015 15:43

Senge-ES é homenageado nos 60 anos do Dieese

Senge-ES é homenageado nos 60 anos do Dieese

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espirito Santo (Senge-ES) foi homenageado na Assembleia Legislativa (Ales) na sessão solene que marcou os 60 anos de atuação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O evento foi realizado na última quarta-feira (25) e também marcou os 30 anos do escritório regional da instituição. Diversas entidades sindicais também receberam menções honrosas.

O diretor de promoção social do Senge-ES, Luis Fernando Fiorotti, representou o Senge-ES na solenidade. O Secretário Geral, Rogério do Nascimento Ramos, e o Diretor de Estudos Socioeconômicos, Marconi Pereira Fardim, também estiveram presentes na sessão solene.

O DIEESE, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, é uma criação do movimento sindical brasileiro. Foi fundado em 1955 para desenvolver pesquisas que fundamentassem as reivindicações dos trabalhadores. Saiba mais em www.dieese.org.br.

A solenidade

Padre Honório (PT), que abriu a sessão, justificou a ausência do companheiro de partido Nunes, proponente da iniciativa juntamente ao deputado Dary Pagung (PRP), que foi à Brasília para ajudar na renegociação das dívidas dos agricultores capixabas decorrentes da crise hídrica. O petista reconheceu o trabalho do Dieese. “Trata-se de um momento muito importante para pessoas que fazem história no Estado”.

Em seguida, Janete de Sá (PMN) se disse honrada em receber os “companheiros sindicalistas”. A deputada destacou que “veio como sindicalista” ao evento, pois lembrou que participa na negociação das reivindicações de empregados da mineradora Vale com a cúpula da multinacional.

Ela se referiu ao Dieese como “instrumento confiável da classe sindical” na mesa de negociação. “Tenho certeza que apesar das adversidades os trabalhadores são gratos a esses sindicalistas abnegados responsáveis por melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores do Espírito Santo”, salientou.

Senge-ES é homenageado nos 60 anos do Dieese

A supervisora técnica do Dieese-ES, Sandra Bortolon, explicou que o órgão “é uma associação privada criada pelo movimento sindical a fim de instrumentalizar os trabalhadores na assessoria às negociações coletivas e na vida sindical”. “É a ciência do mundo do trabalho”, afirmou. Segundo ela, nos últimos dois anos, a entidade assessorou mais de mil negociações.

Para ela, a credibilidade adquirida em sua trajetória deve-se à sua unidade política. “O Dieese tem uma característica fundamental, que é a credibilidade junto aos agentes sociais e econômicos (…) fundamentalmente porque é uma entidade autônoma, mas que ao mesmo tempo tem uma unidade política”, defendeu.

Em sua rápida fala, o secretário de organização Central Única dos Trabalhadores (CUT-ES), Obadias Souza Filho, analisou que “quando uma negociação é assistida pelo Dieese o resultado é outro”. O vice-presidente da Central dos Trabalhadores Brasileiros (CTB), Josué King Ferreira, lembrou que o surgimento da entidade deu mais equilíbrio nas reivindicações junto aos patrões.

Representante Central da Classe Trabalhadora (Intersindical-ES), Fabrício Coelho registrou “a importância do Dieese enquanto assessoria de pesquisa, enquanto proposição social também para o parlamento. Os partidos de esquerda e progressistas também (são) aliados do Dieese em várias propostas, como a taxação de grandes fortunas”.

Já o secretário-geral da Nova Central Sindical dos Trabalhadores do ES, Wellington Bezerra reiterou o suporte dado pelo órgão nas negociações. “Os patrões sempre estão bem assessorados com números falsos para levar vantagem na negociação coletiva. E nós precisamos estar sempre amparados por um instituto de credibilidade tamanha como o Dieese”, avaliou.

O coordenador regional do Dieese-ES, Max Célio Carvalho, reconheceu que a atuação da entidade vai além do fornecimento de dados. “Percebi que o Dieese não era só para dar essas estatísticas (…) o comportamento na mesa de negociação tem que ser diferenciado”, pontou.

A subsecretária de Estado de Trabalho Fernanda Maria Souza adiantou que o governo está empenhado na construção do projeto “Observatório do Trabalho”. “É importante a gente ter informações mais minuciosas sobre o mercado de trabalho principalmente nos dias atuais, então a gente está com essa tarefa para 2016”.

Por fim, o coordenador de relações sindicais do Dieese nacional, José Silvestre de Oliveira fez uma síntese das seis décadas de história da entidade desde a sua fundação até os dias atuais. “Se eu pudesse definir a criação do Dieese eu definiria com duas palavras: a primeira foi ousadia e a segunda sabedoria”, ressaltou.

Silvestre destacou ainda alguns episódios marcantes pelas quais a organização passou, como em 1958/59, quando viabilizou a proposta que deu origem ao índice de custo de vida “para fazer frente às reivindicações dos trabalhadores perante aos índices oficiais.” Mais para frente, disse que “não existe em país nenhum do mundo uma instituição similar ao Dieese”.

De acordo com ele, na Europa, Ásia e Estados Unidos as entidades sindicais e particularmente as centrais sindicais têm os seus próprios institutos de assessoria e pesquisa, mas uma instituição de caráter intersindical e plural, que trabalha todas as entidades (…) só tem o Dieese. Acho que é graças a isso que o Dieese se mantém vivo”, concluiu.

Logo após, representantes dos sindicatos receberam homenagens. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia e Empresas Prestadoras de Serviço no Setor Elétrico e Similares (Sinergia), Edson Wilson Bernardes França, foi o escolhido para falar em nome dos laureados.

“O Dieese enfim é a melhor ferramenta politico-científica que nós temos, a nossa luta é para a gente consiga que mais entidades possam entender a importância que tem o Dieese para os trabalhador, na formulação de políticas, formação de quadros”. Ele pediu que entidades ainda não filiadas à instituição façam a adesão.

Homenageados – Associados Dieese-ES

Senalba – Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional
Senge – Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo
Simes – Sindicato dos Médicos do Espírito Santo
Sindaema – Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente
Sindfer – Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico
Sindialimentação – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação
Sindibancários – Sindicato dos Bancários
Sindicomerciarios – Sindicato dos Empregados no Comércio
Sindienfermeiros – Sindicato dos Enfermeiros do Espírito Santo
Sindiestivadores – Sindicato dos Estivadores e Trabalhadores em Estiva de Minérios
Sindijudiciários – Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Espírito Santo (SINDJUD)
Sindilimpe – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio, Conservação e Limpeza Pública
Sindimetal – Sindicato dos Metalúrgicos
Sindipetro – Sindicato dos Petroleiros
Sindiupes – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do ES
Sindserv – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Mateus
Sinergia – Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia e Empresas Prestadoras de Serviço no Setor Elétrico e Similares
Sinpro – Sindicato dos Professores
Sinticel – Sindicato dos Trabalhadores Químicos e Papeleiros
Sintraconst – Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil
Sintramassas – Sindicato dos Empregados das Indústrias de Panificação e Confeitaria
Sinttel – Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações
Suport – Sindicato Unificado da Orla Portuários

Com informações de Marcos Bonn/Web Ales
Foto de capa: Divulgação Assembleia Legislativa
Fotos internas: Senge-ES/Flávio Borgneth

Fonte: Senge-ES

Publicado em Notícias

O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espírito Santo (Senge-ES) negocia a Convenção Coletiva 2015/2016 com o Sindicato Patronal Sinaenco. Os trabalhadores de empresas de Engenharia e Arquitetura Consultiva estão convocados a participar da Assembleia Geral Extraordinária, que será realizada na sede do Senge-ES na próxima quinta-feira (13 de agosto), conforme o edital abaixo:

O SINDICATO DOS ENGENHEIROS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO (SENGE/ES), por seu presidente abaixo assinado, no uso de suas atribuições constitucionais e estatutárias, convoca todos os Engenheiros regulados pela Lei 5.194/66 empregados das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva, associados ou não, para a ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a ser realizada no dia 13/08/2015 (quinta-feira), às 18h30min em primeira convocação e, em segunda convocação, às 19h00 horas, obedecidos aos quóruns estatutários e legais, na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Espirito Santo sito à Av. Marechal Mascarenhas de Moraes n°2562 – Ed. Espaço Um, Sala 304 – Jesus de Nazareth – Vitoria – ES, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia:

1 – Contra-proposta do SINAENCO (CCT 2015-2016),

Ary Medina Sobrinho

Presidente do SENGE/ES

Publicado em Notícias
Página 2 de 3