Sexta, 10 Agosto 2018 16:29

Servidores retomam pressão sobre governo e Alep pela data-base e em defesa da Paranaprevidência

As iniciativas foram mobilizadas pelo FES, e contaram com a participação do Senge-PR, representado pelo presidente da entidade, Carlos Roberto Bittencourt.

Esta terça-feira (7) foi de mobilizações dos servidores públicos estaduais pelo pagamento da data-base e contra a proposta de nova alteração da Previdência via Projeto de Lei enviado pelo governo à Assembleia Legislativa. As iniciativas foram mobilizadas pelo Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Públicos do Paraná (FES), e contaram com a participação do Senge-PR, representado pelo presidente da entidade, Carlos Roberto Bittencourt.

:: Confira aqui todas as fotos

Servidores retomam pressão sobre governo e Alep pela data-base e em defesa da Paranaprevidência

Presidente do Senge-PR, Carlos Roberto Bittencourt, se soma a servidores de outras categorias em mobilização na sessão da Alep (Foto: Ednubia Ghisi)

Pela manhã, integrantes do FES participaram de reunião com o secretário do Trabalho do Paraná, Paulo Rossi, indicado pela governadora Cida Borghetti para ser o interlocutor do governo nas negociações com os trabalhadores. Os representantes dos servidores exigiram do secretário o pagamento da dívida da data-base. Devido ao calote do ex-governador Beto Richa (PSDB), que não pagou a reposição da inflação desde 2016, a defasagem atual no salário dos(as) servidores(as) é de 11,53%.

WhatsApp Image 2018-08-07 at 14.31.14

Reunião do FES com representante do governo (Foto: Camila Matta)

Estudos orçamentários do FES já provaram que o governo tem dinheiro e condições para pagar, ainda este ano, no mínimo a reposição da inflação do último período, calculada em 2,76%. Novos estudos mostrando o crescimento da receita do Estado foram apresentados ao secretário para que a governadora devolva aos deputados o projeto de lei que trata do assunto.

Outra reivindicação é a correção do salário dos funcionários que recebiam abaixo do mínimo regional. O governo está pagando o valor do mínimo de 2017. A complementação salarial para estes trabalhadores era uma luta antiga dos sindicatos e foi implantada em junho deste ano, beneficiando cerca de seis mil pessoas.

IMG_8201

(Foto: Ednubia Ghisi)

Na parte da tarde a mobilização foi na Assembleia Legislativa. O presidente do Senge-PR, Carlos Roberto Bittencourt, participou a entrega da pauta de reivindicações a cada um dos deputados, junto de representantes de outras categorias.

Além de cobrar a implementação da data-base, as entidades sindicais questionam um novo Projeto de Lei do governo prevendo alteração na Paranaprevidência. De acordo com as informações, o texto anistia uma dívida do Estado estimada em R$ 400 milhões. O valor seria resultado do não pagamento da contribuição do governo desde 2015. A categoria defende seu direito de participar da discussão e exige tempo para apresentar estudos e contraposição.

 

FONTE: SENGE-PR