Sexta, 27 Abril 2018 17:24

“Neste Dia Nacional da Mulher, mais do que comemorar, é preciso lutar”, afirma Simone Baía

Na próxima segunda-feira (30/4) será comemorado o Dia Nacional da Mulher. A data foi escolhida por ser o dia do nascimento de Jerônima Mesquita, líder do movimento feminista no país e fundadora do Movimento Bandeirante, além de também estar envolvida na criação do Conselho Nacional das Mulheres. De acordo com a engenheira e diretora da mulher, Simone Baía, a data marca mais um momento de luta. “Mais do que comemorar, é preciso lutar. Vivemos uma crise política sem precedentes com um governo ilegítimo, que extinguiu a Secretaria de Políticas para Mulheres e retira direitos de gestantes com a Reforma Trabalhista. 2018 é um ano eleitoral e devemos concentrar nossos esforços na eleição de mulheres que tenham um programa de transformação social”, alertou.

No Congresso Nacional, a participação das mulheres ainda é muito baixa. No Senado, a representação feminina é de 12 senadoras entre os 81 eleitos para a Casa Legislativa. Já na Câmara dos Deputados, elas ocupam 50 cadeiras no universo de 513 parlamentares.

“Neste Dia Nacional da Mulher, mais do que comemorar, é preciso lutar”, afirma Simone Baía